Total de visualizações de página

sábado, 5 de dezembro de 2009

Entre o prazer e o necessário

Pois é, através deste blog venho descobrindo que escrever é puro prazer. Aqui, principalmente, por que ninguém me cobra. Nenhum prazo me sufoca; nenhum parecerista dará seu veredito; nenhum par se preocupará em me usar como bibliografia de sua disciplina, tese ou artigo. Que liberdade! Preocupa-me, no entanto, que cada vez menos tempo dispendo para esse exercício sem compromisso. Relativo, decerto. Mas é interessante como, no meio de tanta atribulaçao, esse espaço funciona como o automóvel, segundo Baudrillar. Nem casa, nem trabalho. O meio do caminho, o lugar nenhum; nem saída, nem chegada. Apenas a viagem.

4 comentários:

Vandi Angelim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vandi disse...

"Nossos escritos sempre aprisionam algum momento nosso..."

Outro dia ouvi esta frase em uma das disciplinas. Achei singelo e verdadeiro. Incrível quando começamos a descobrir a escrita como algo prazeroso, simples e contraditoriamente - em alguns momentos - complexo.

Eu escrevo para lembrar, e algumas vezes contraditoriamente, para esquecer...

Blog da Familia Possamai disse...

Que lindo, Vandi. Nao sabia desta tua veia poética.
beijos

Zita

Sandra disse...

... "esse espaço funciona como o automóvel, segundo Baudrillar. Nem casa, nem trabalho. O meio do caminho, o lugar nenhum; nem saída, nem chegada. Apenas a viagem", que maravilhoso isso. Não a conheço, mas já a admiro pela sensibilidade dessa primeira frase. Sandra