Total de visualizações de página

quarta-feira, 29 de abril de 2009

VII Semana de Museus da USP

Mais uma vez tenho a alegria de participar da Semana de Museus da USP. Este, sem dúvida, é um dos fóruns brasileiros mais qualificados de debate sobre as problemáticas ligadas aos museus. Como sempre, a organização competentíssima da equipe de representantes dos cinco museus da USP. O tema não poderia ser mais instigante: o museu na cidade, a cidade no museu. A meu ver, dois pontos altos. O primeiro, a palestra de Gabi Dolff-Bonekämper sobre a Ilha dos Museus de Berlim e suas transformações no pós-guerra e pós-queda do muro. Gabi falou de "perda e partilha" num contexto de deslocamento e rearranjo de coleções separadas pelo muro. O segundo ponto foi a palestra do Professor Ulpiano Bezerra de Meneses, uma das mentes mais brilhantes da intelectualidade brasileira. Escuto Ulpiano há vinte anos e suas abordagens são sempre de autosuperação. Jamais se repete, apenas reafirma princípios alicerçados em várias anos de docência e trabalho nos museus. Sua palestra discorreu sobre a problemática central do evento, abordando a presença da cidade marginal no museu de cidade. Guiou seus ouvintes num itinerário de reflexão sobre os museus de favela (alguns já com algumas décadas), hoje tão em voga no Rio de Janeiro e suas diversas apropriações, seja pelo turismo, seja por seus moradores. O evento ainda conta com "debates", onde apenas um conferencista discorre sobre uma temática, debatida por um interlocutor e também pelo público. A palestra de Marcelo Mattos Araujo sobre as pesquisas do não-público da Pinacoteca do Estado de São Paulo lançou várias indagações e desafios aos museus. Para o museu interessa saber não apenas quem é seu público visitante, mas também quem não o visita. Como se tudo isso nao fosse suficiente, os organizadores abrem, democraticamente, espaço para comunicadores. Nesse momento, descortina-se a variedade de regiões brasileiras aqui representada. De Norte a Sul, de Belém do Pará a Porto Alegre são muitos e diversos os sotaques. Isso, claro, sem contar as conversas animadas de corredor, na hora do café e do almoço, onde a troca de ideias toma conta do cenário. Ainda nem terminou, mas já estou querendo voltar para a próxima, em 2011.

2 comentários:

Anônimo disse...

Olá Professora Zita,fica claro no seu pequeno relato sobre o evento da VII Semana de Museus da USP a sua paixão por este assunto.Poderíamos saber mais a respeito da Ilha dos Museus de Berlim nos nossos encontros(vídeo)?E ler algum texto do Professor Ulpiano Meneses?Por enquanto é isto e parabéns por ser uma profissional apaixonada pelo que faz e sempre buscando aprender mais.

Guta disse...

Professora Zita, eu gostaria de saber onde posso encontrar disponibilizada a sua tese de doutorado. Como sou doutoranda da UFPel, tenho dificuldade de acessar bibliotecas em Porto Alegre.
O meu e-mail é martiarena.augusta@gmail.com.
Agradeço, desde já, a sua atenção.
Maria Augusta Martiarena de Oliveira